Meu carrinho
0
Seu carrinho está vazio

Dicas

5 características para decidir qual o melhor cabo para caixas de som

Publicado em 09.09.2021 |
Visualizações
4.244 visualizações

Veja como escolher o melhor cabo para caixas de som de acordo com estas 5 características!

Quando o assunto é home theater ou som ambiente, geralmente a maior preocupação é com a potência do equipamento. O cabo para caixas de som acaba deixado para segundo plano, mas a sua escolha é muito importante. Apesar de vivermos em uma era com predominância de produtos sem fio, essa conexão física ainda é o principal elo entre equipamentos de áudio e vídeo.

Assim, a qualidade do cabo para caixas de som influencia diretamente no resultado e é um diferencial no projeto sonoro. Por isso, hoje a Audio Prime vai mostrar cinco características que devem ser consideradas na hora de escolher o melhor cabo para caixas de som.

Tipos de cabo para caixas de som

Há três tipos de cabos para caixas de som. É preciso conhecer cada um para descobrir qual melhor se encaixa no seu projeto.

Paralelo

O cabo de som paralelo ou polarizado é usado em caixas de som passivas. Ele é composto por dois fios condutores, sendo um polo negativo e outro positivo. A identificação é feita através de cores diferentes em cada via, no próprio cobre, ou em algum tipo de gravação na capa de PVC que isola os condutores. O mais comum deles é o conhecido como “Flamenguinho”, porque a capa de PVC que envolve os fios é vermelha e preta.

Mas nem todos têm essa cor. O Cobalt, por exemplo, é branco com um fio azul em todo o comprimento do fio positivo para sua identificação. Já o Cristal, como o próprio nome já indica, tem o PVC transparente.

Estanhado

O cabo de caixa de som estanhado é um cabo de cobre tradicional que passa por uma reação química com estanho. Isso faz com que ele fique mais resistente aos efeitos da maresia.

Não balanceados

Os cabos não balanceados são usados em caixa de som ativa. Este tipo é mais sujeito a interferências externas porque tem um único fio condutor na malha. Por isso, o ideal é que ele seja curto, minimizando problemas na transmissão. O RCA, por exemplo, é um cabo não balanceado.

Balanceados

Já os cabos balanceados têm um fio condutor a mais, que serve para minimizar a diafonia (crosstalk), aquela interferência por equipamentos eletrônicos e ondas de rádio. Por isso são mais usados em projetos profissionais de som.

Principais características dos cabos

Veja agora as cinco principais características do cabo de som que vão ajudar você a fazer a melhor compra:

1 – Bitola do cabo

Na verdade, não existe um padrão para a bitola do cabo para caixa de som. Muito pelo contrário: quanto menor ela for, maior a sua resistência. Então se o receiver do home theater for potente, um cabo de som com bitola muito baixa vai fazer com que o sistema perca potência. Mas atenção, porque a bitola é medida pela seção transversal do cabo, de acordo com a quantidade de material de condução, e não pelo diâmetro.

Para isso é preciso uma ferramenta, chamada de paquímetro. Para reduzir os efeitos da resistência, quando a distância é longa é melhor usar cabo de som ambiente de maior bitola.

2 – Tipo de filamento

Outro ponto importante é o tipo de filamento que compõe o cabo para caixas de som: cobre normal, cobre OFC (Oxygen Free Copper) e cobre CCA (Copper-clad Aluminium). O cabo CCA tem o filamento formado por alumínio forrado por cobre. No entanto, o mau dimensionamento entre estes materiais pode gerar perdas significativas de áudio, já que o alumínio tem menor condutividade do que o cobre.

Por isso é muito importante saber a origem dos cabos CCA, comprando apenas de empresas sérias e consolidadas no mercado, como a Audio Prime.

Cobre normal x OFC

Estes dois tipos se diferenciam pela quantidade de impurezas por milhão de moléculas. O cabo de cobre normal tem ótima condutividade. Já o cabo OFC passa por um processo de purificação que melhora a condutividade do sinal. Dessa forma, o cabo de som para home theater fica com quase cinco vezes menos moléculas do que um cabo de cobre normal.

3 - Capa de PVC

Este é outro ponto importante. Quando a capa de PVC é muito emborrachada, a passagem pelo eletroduto é prejudicada. Mas, além disso, a capa grossa também pode induzir o consumidor a pensar que se trata de um cabo de áudio mais grosso do que realmente é. Assim, a capa de PVC deve ter espessura suficiente apenas para proteger o diâmetro da seção do cobre, então vale a pena ficar atento se ela for muito grossa.

4 – Flexibilidade e condução

Ao decapar vários cabos para caixas de som é possível notar que a quantidade de filamentos varia de acordo com o fabricante. Então quanto mais fino o filamento, a seção fica preenchida, aumentando a condutividade do cabo de áudio. Assim, quando o filamento é muito grosso acaba ficando um espaço entre eles. O fio fica espesso, mas como há menos filamentos, a transmissão também é menor.

Por isso, pode ser que na hora da conferência o taquímetro aponte o tamanho correto, mas se os filamentos são muito grossos há um espaço vazio entre eles que gera perda de transmissão. Por outro lado, quanto mais condutores em seu interior, maior também a resistência mecânica do cabo de caixa de som.

5 – Torção do cobre

Há um processo de fabricação do cabo para caixa de som no qual os filamentos de cobre são torcidos entre si para que caiba uma quantidade maior ocupando menos espaço. Assim, a circunferência e, consequentemente, a área disponível para o tráfego do sinal ficam maiores. Esta torção é chamada de rope lay.

Esta técnica favorece o desempenho do produto, principalmente nos cabos polarizados de alta definição, melhorando a resposta dos agudos.

Qual o melhor cabo para caixa de som?

Assim, o melhor cabo para caixa de som vai depender do projeto, se é profissional ou residencial; do tipo de caixa de som, se é ativa ou passiva; e até mesmo do lugar. Para sistemas que ficam próximos ao mar, por exemplo, os cabos estanhados são mais indicados por serem mais resistentes à maresia. A Audio Prime trabalha com vários tipos de cabos e está sempre aumentando seu portfólio.

Além disso, já sabe: na dúvida, chame nossos técnicos pelo WhatsApp e aproveite a nossa consultoria especializada gratuita!